fbpx
 In Dicas, Fotografia, Tutorial

O que é fotometria?

A fotometria é um princípio fundamental para qualquer fotógrafo. Se você conhecer algum fotógrafo que não sabe o que é fotometria ou como fotometrar de forma correta uma foto, este individuo, com certeza, apenas se diz fotógrafo.

De uma forma bem simples, fotometria é a medição da quantidade de luz em uma determinada região. Isso era principalmente importante na era pré-digital.

Com o início da fotografia digital, errar a fotometria de uma foto ficou bem mais difícil pelo fato de você conseguir visualizar a foto logo após ela ser tirada. Se a foto estiver escura (subexposta) ou clara (superexposta) demais, você consegue ver na hora no LCD da sua câmera. Mas para cameras analogicas isso nao é uma opção.

Basicamente existem dois tipos de fotometria: a de luz refletida e a de luz incidente. Na sua câmera, o fotômetro faz a fotometria de luz refletida, que é o que vamos focar aqui neste artigo.

Se você quiser realmente dominar fotometria, você terá de estudar bastante coisa. Alguns exemplos são os modos de medição da sua câmera, como ler o histograma, como usar corretamente os 3 pilares da fotografia (ISO, obturador e diafragma), e por aí vai. Por enquanto vamos entender o básico, começando com o instrumento de medição.

O fotômetro

Muitas profissões precisam de medidas precisas de alguma variável para que o resultado final do produto ou serviço seja satisfatório, certo?

Vamos dizer que você vai medico se sentindo mal e indisposto. Se o médico é confiável, ele vai usar um termômetro pra medir sua temperatura e um medidor de pressão para tirar sua pressão, certo? É pelo uso desses instrumentos de medição que ele consegue dizer o que está de errado com o seu corpo.

Um fotógrafo também precisa do seu fotômetro para diagnosticar a sua foto e dizer se ela está exposta corretamente, subexposta ou superexposta. Se ele não sabe usar seu fotômetro, ele tira a foto no achômetro. (Ok, chega de piadas ruins).

Fotometro de mao

Fotômetro manual

Você talvez nunca tenha visto um fotômetro fisicamente antes, principalmente os de luz refletida. Estes ficam já dentro das câmeras fotográficas digitais. Porém se você já fotografou com uma câmera digital, você com certeza já notou a tal “reguinha” que aparece tanto no LCD quanto no visor óptico quando você está pra tirar a foto. Essa “reguinha” é o tal fotômetro.

Nessa régua você vai ver, na maioria dos casos, uma escala de -2 até +2. Isso vai te dizer quantos Exposure Values (EV) você está do tem cinza médio.

Cinza médio, Exposure Value…. começou a complicar denovo, nao é mesmo? Mas fica tranquilo que vou te explicar o que é cada um pra você entender melhor.

O que é o EV e a escala de cinza

Em inglês EV significa Exposure Value. Traduzindo pro bom português, é o Valor de Exposição. Essa é a unidade de medida de luz, assim como o metro é usado para medir distâncias e °C para temperatura – se você não mora nos EUA, é claro.

Diferente do que se pode pensar, nesse caso o 0EV não significa que não existe nenhuma luz sendo refletida. A escala de EV é uma escala logarítmica (de base 2) baseada em tons de cinza. Desculpem, sendo um engenheiro, isso faz sentido pra mim, porém irei traduzir para linguagem do dia a dia.

O jeito mais fácil de entender como o fotômetro funciona é olhando para a escala de cinza, como esta aqui abaixo.

Escala de cinza - o que e fotometria

Escala de cinza

Agora fica mais fácil de entender. Voltando a escala, o 0 EV representa o bloco de 50% da escala total, que é o famoso cinza médio. Se você contar o número de blocos para esquerda e direita, você vai perceber que se tem 5 barras de cada lado, que seria uma régua do -5 ao +5.

É importante também entender o quanto de luz a menos ou a mais se tem quando se adiciona ou retira 1 EV da fotometria. Lembra que eu disse que a escala do valor de exposição era logarítmica na base 2?

Em português, isto significa que a cada vez que você adicionar 1 EV na sua fotometria, você terá o dobro de luz chegando no sensor, se comparado à fotometria anterior. Da mesma forma, tirando -1 EV você estará trabalhando com metade da luz se comparado à antiga fotometria.

Deu pra entender melhor agora? O único problema agora é que ficaria muito difícil se você tivesse que sempre dobrar ou cortar pela metade a luz que você tem pra trabalhar, certo? É por isso que na maioria das câmeras você consegue trabalhar com terços de EV.

fotometro da camera - o que e fotometria

Régua do fotômetro

Se você observar a régua do fotômetro, você vai perceber que entre o 0 e o 1 existem 2 pontos menores. Cada ponto desse representa um terço de valor de exposição.

Bom, agora que a gente já sabe como funciona o fotômetro e como a luz é medida, chegou a hora de aprender como fotometrar.

Como fotometrar?

Chegou a hora da prática. Está preparado? Vamos precisar de um pouco de matemática aqui. Você vai precisar saber multiplicar e dividir por 2. Se você ainda não consegue fazer essas contas de modo rápido, aconselho a levar uma calculadora pro seu próximo photoshoot!

Brincadeiras a parte, para se adicionar ou remover a quantidade de luz que está chegando ao sensor da sua câmera, você vai precisar mexer em 3 diferentes variáveis. Alguém consegue me dizer quais são? Isso mesmo, vamos falar finalmente dos 3 pilares da fotografia: ISO, abertura do diafragma, e velocidade do obturador.

Se você se interessa por fotografia, provavelmente você já está familiarizado com esses 3 termos. Se você ainda não sabe do que estou falando, eu explico o que é cada um no artigo sobre como funciona uma câmera digital DSLR.

Eu irei entrar em mais detalhes sobre como cada um destas 3 variáveis vai influenciar no resultado final da foto. Por enquanto, vamos focar em como modificar cada uma para adicionar ou remover luz da sua foto. Vamos começar pelo mais difícil de se calcular, a abertura do diafragma.

Abertura do diafragma

A abertura do diafragma é medida nos chamados f-stops. O maior problema aqui é decorar a progressão destes pontos. Você vai entender já já. O número do f-stop vai de 1.4 até 22 na maioria das lentes. Claro, podemos, teoricamente, ter f-stops de 1 até 32. Neste artigo vamos focar de 1.4 até 22. Até porque se você está comprando uma lente que ultrapassa esse range, ou você já é um fotógrafo/videografo profissional ou tem MUITO dinheiro sobrando.

O problema maior dos números de f-stops é que eles são, muitas vezes, fracionados. Felizmente, um cara chamado Dylan Bennett criou um “truque” para que fique mais fácil de lembrar os pontos na escala da abertura do diafragma. Dê uma olhada na figura abaixo que eu já te explico o macete.

Escala de abertura do diafragma

Escala de abertura do diafragma

Na figura acima, pode-se perceber que se tem duas cores diferentes dos números. Pra chegar nos números azul-escuro é bem simples. Você começa com o número 1 e vai dobrando até chegar em 32.

O problema é que do ponto f/2 pro ponto f/4 você estará quadruplicando a quanto de luz. Pra quem é ruim de conta, isso significa adicionar +2 EVs. Então para achar os pontos intermediários o que se tem que fazer é, no primeiro gap, entre f/1 e f/2, você repete o numero 1, coloca o ponto logo após, e dobra o próximo número de f-stop, o 2.

Pronto, você chegou no ponto intermediário que é f/1.4. Outra forma mais fácil de chegar no mesmo resultado é simplesmente lembrar que entre o f/1 e o f/2 existe o f/1.4. Você chega no mesmo resultado.

Depois de chegar nesse f/1.4 é que vem a sacada do Bennett. Para se achar o f-stop entre 2 e 4, basta dobrar o 1.4, chegando em 2.8. Pra achar o ponto entre 4 e 8, você dobra o número do f-stop entre 2 e 4. 2×2.8 = 5.6. Da mesma forma, o ponto entre 8 e 16 é o dobro do ponto entre 4 e 8. Mais uma vez, 5.6×2 = 11.2. Nao existe o ponto 11.2 precisamente, mas temos o f/11. Então basta arredondar. Da mesma maneira se chega ao número 22 entre o f/16 e f/32. Simples, não é mesmo? E aí, já precisou ir pegar a calculadora?

Agora que já passamos do maior desafio que é a escala de abertura do diafragma, vamos pra parte mais simples da equacao. A velocidade do obturador e ISO.

Velocidade do obturador

As outras duas variáveis são bem mais tranquilas de se calcular. Aqui, quase sempre, os numeros sao inteiros. Vamos começar com a velocidade do obturador.

Para os iniciantes da fotografia, vale lembrar algo que pode parecer óbvio para muitos, mas para os realmente iniciantes pode causar confusão. Quando você olha pra sua câmera e vê o número 200 por exemplo para a velocidade do obturador, na verdade isso significa que o obturador vai ficar “aberto” por 1/200 s. Isso mesmo, um duzentos avos de segundo.

Ok, mas porque isso é importante? Bom, se você pretende adicionar luz à sua exposição, você tem que deixar mais luz entrar. Isso significa, no caso do obturador, deixar-lo  aberto por mais tempo.

É aqui que a informação da fração é importante. Para adicionar 1 EV em uma exposição que tinha anteriormente a velocidade setada para 200, é preciso DIVIDIR esse número por 2. Neste case, mudar a velocidade para 1/100.

Da mesma forma, se você quiser retirar 1 EV de luz, você tem que multiplicar esse número por 2. Passando a velocidade de 1/200 para 1/400.

Na maioria das vezes, se você está iniciando na fotografia, você não vai utilizar velocidades muito baixas. Entao nao vou entrar em detalhes de longa exposicao (exposições acima de 1 segundo). Muito provável que, se você já está fazendo fotos de longa exposição, você já dominou a fotometria.

Com isso, chegamos à nossa última variável, o ISO.

ISO

Esse sim é o mais simples dos 3. Aqui nao existe nenhum macete ou pegadinho. É bem simples. Quer adicionar luz aumenta o ISO, quer retirar diminui. O ISO base da maioria das DSLRs é 100. Isso significa que este é o ISO que irá produzir menos ruído na sua foto.

Vamos falar mais sobre ruído e os efeitos de cada um dos 3 pilares na sua foto. Por enquanto, você só precisa saber que se você quiser adicionar 1 EV à sua exposição, você deve dobrar o ISO. Analogamente, se você pretende retirar 1 EV é só dividir o ISO pela metade.

Cada câmera tem um range de ISO diferente. Temos no mercado câmeras com ISO que começam no 50 e vão até 102.400. Mas você provavelmente vai trabalhar no início entre os ISOs 100 e 6400.

Teoria na prática

Agora que aprendemos o que é fotometria e como fotometrar corretamente, vamos exercitar!

via GIPHY

Isso mesmo, nao adianta de nada estudar estudar e estudar se você não colocar em prática o que estudou. Então, vamos fazer o seguinte. Vou propor aqui 3 mudanças na exposição geral de uma foto, fornecendo as configurações iniciais da câmera. Sua tarefa é apenas fazer os cálculos e deixar nos comentários a nova configuração que você utilizaria. Lembrando que você pode modificar qualquer um das 3 variáveis para chegar no mesmo resultado – falando, apenas, de quantidade de luz.

Sem mais delongas, vamos praticar.

Exercicios

  1. Você acabou de ligar sua câmera, e suas configurações estavam em ISO 200, velocidade do obturador 1/800, e abertura do diafragma f/1.4. Com essas configuraçoes, seu fotômetro está indicando -1 EV. Qual a nova configuração necessária pro fotômetro ficar zerado?
  2. Chega de perguntas de colégio, vamos apenas para o que importa! Configuração da câmera: ISO 100, velocidade do obturador: 1/60, f/2.8, fotômetro em +2 EV. Qual a nova configuração necessária pro fotômetro ficar zerado?
  3. Configuração da câmera: ISO 320, velocidade do obturador: 1/160, f/7.1, fotômetro em -3 EV. Qual a nova configuração necessária para o fotômetro ficar zerado? (Se você acertar essa, já está aprovado de cara!)

Deixe os seus resultados nos comentários! Vamos ver quem consegue acertar todas as perguntas e levar um 10 pra casa!

Recommended Posts

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt
0